Árbitros serenos quanto ao pedido de reunião do FC Porto

arbitragem de Luís Ferreira no empate entre FC Porto e Moreirense foi a ‘gota de água’ para os responsáveis azuis e brancos, que, menos de 24 horas após o apito final deste encontro, lançaram um comunicado onde exigiam, “ao presidente do Conselho de Arbitragem da Federação Portuguesa de Futebol, uma reunião com caráter de urgência”.

O intuito seria “expor um conjunto de erros das equipas de arbitragem, cujo inaceitável acumulado de pontos subtraídos coloca em causa a verdade desportiva da I Liga”. Declarações fortes, mas que não encontraram eco no setor da arbitragem.

Desporto ao Minuto sabe que o pedido dos dragões foi recebido de forma tranquila por parte dos juízes. Até porque está longe de ser o único. Na verdade, rara é a semana em que o organismo presidido por José Fontelas Gomes não receba semelhante exigência.

Nesse sentido, pese embora o FC Porto pretenda que a reunião seja marcada com “caráter de urgência”, tal dificilmente sucederá. O Conselho de Arbitragem irá, claro, ouvir os protestos da direção liderada por Jorge Nuno Pinto da Costa. Mas a seu tempo.

Críticas têm subido de tom

As críticas à arbitragem de Luís Ferreira, na passada terça-feira, foram as mais ‘ferozes’ dos dragões na presente temporada, especialmente por parte de Sérgio Conceição. Na opinião do técnico, o juiz falhou ao não penalizar o Moreirense pelas sucessivas “quebras no ritmo de jogo”.

Além disso, falando do golo anulado ao reforço Majeed Waris pouco antes do apito final, lembrou que “o vídeo-árbitro não tem sido muito feliz” quando é utilizado em jogos do FC Porto.

Um ‘recado’ que remete a outros entretanto endereçados pelo técnico, como aquele deixado no final do Clássico com o Benfica – empate a uma bola, ajuizado por Jorge Sousa – em que prometeu lutar pelo título nacional “contra tudo e contra todos”.

“Quero que os protagonistas sejam os jogadores, mas não podemos aceitar semanalmente lances mal ajuizados por parte da arbitragem, incluindo o VAR. No nosso golo, que é válido, há um jogador do Benfica a pôr em jogo o Herrera e o Aboubakar. É completamente limpo. Até posso admitir que aí o VAR não pode intervir, mas o lance do penálti é claríssimo. Não entendo o porquê de não ir ver, de não analisar”, atirou.

 No entanto, as críticas não foram, de todo, únicas. Na partida com o Feirense, que os dragões venceram por 2-1, Sérgio Conceição foi mais longe ao visar Fábio Veríssimo: “Acho que foi uma noite infeliz, talvez o jogo que eu vi, em toda a minha carreira, em que o árbitro foi mais infeliz na sua prestação”.

Categorias: Desportos,DESTAQUE

Leave A Reply

Your email address will not be published.