Restauração e alojamento necessitam de mais de 40 mil novos trabalhadores

Este é o resultado da reposição da taxa do IVA dos Serviços de Alimentação e Bebidas, a 1 de julho de 2016.

Restauração e alojamento turístico necessitam de mais de 40 mil novos trabalhadores. A conclusão é da Associação da Hotelaria, Restauração e Similares de Portugal (AHRESP), que realizou um inquérito junto das empresas dos setores da Restauração e Bebidas e do Alojamento Turístico.

O objetivo deste inquérito, refere o comunicado enviado à redação do Notícias ao Minuto, era “apurar as necessidades de contratação de recursos humanos qualificados, perceber as carências de formação dos colaboradores atuais das empresas e conhecer as suas intenções futuras e expectáveis de contratação”.

O setor do Turismo, e particularmente o Canal HORECA (restauração e alojamento turístico), tem vindo a registar, realça a AHRESP, crescimentos sucessivos na empregabilidade – em 2016, representou 70,8% das empresas (92.802) e 77,8% dos postos de trabalho (310.279) – e “neste momento não há mão-de-obra qualificada disponível para trabalhar no setor”.

Esta é, no entanto, uma realidade que a Associação já tinha previsto devido à “reposição da taxa do IVA dos Serviços de Alimentação e Bebidas, a 1 de julho de 2016”. A estabilidade fiscal “gerou o clima de confiança nas nossas empresas, para além de ter criado as condições de equilíbrio económico e financeiros necessários para toda esta dinâmica de criação de emprego”, afirma Ana Jacinto, secretária-geral da AHRESP.

Os resultados do inquérito “demonstram a ausência de mão-obra-disponível para trabalhar nos nossos setores de atividade, onde o fenómeno da sazonalidade está a desaparecer, uma vez que cerca de 32% dos empresários referiram que têm intenções de contratar já neste inverno de 2017/2018, considerada época baixa”, acrescenta a responsável.

A dificuldade de contratação de novos trabalhadores, identificada por 70% das empresas, será um dos temas em destaque nas Jornadas AHRESP, que se realizam no próximo dia 9, no Centro Cultural de Belém, a partir das 14h30.

 

 

Fonte: Filipa Matias Pereira

Categorias: DESTAQUE,Economia

Tags:

Leave A Reply

Your email address will not be published.