Viagens de pets para a Europa estão travadas sem previsão de retorno

Divisão de Vigilância de Zoonoses de SP anuncia suspensão do exame de sorologia para raiva, exigido pelos países da UE

O gato Tigrão, 16, morador do bairro da Bela Vista, em São Paulo, está de malas prontas. No entanto, a sua mudança para Portugal sofreu um revés e o cronograma virou um ponto de interrogação.

A Divisão de Vigilância de Zoonoses (DVZ) de São Paulo publicou um comunicado no qual anuncia a suspensão do exame de sorologia para raiva, exigido pelos países da União Europeia para que um animal de companhia possa entrar no território.

De acordo com o comunicado, o recebimento de amostras de sangue de ‘pets’ só acontecerá até o dia 29 de dezembro. A partir daí começa o período de suspensão, “sem previsão de retorno.”

Com a interrupção iminente, a DVZ tem sugerido que os interessados procurem o Instituto de Saúde Pública do Chile, o único outro local na América do Sul credenciado para realizar o exame -que serve, basicamente, para testar se a vacina de raiva está ativa no corpo do animal.

+ Meteorologista divulga previsão do tempo para o verão

Outros laboratórios que realizam o exame estão nos Estados Unidos, no México, no Japão, e em outros países distantes do Brasil.

Segundo a reportagem apurou, esse apagão não será resolvido facilmente, e envolve o Ministério da Agricultura do governo Michel Temer (PMDB).

O ministério fornece uma substância utilizada para a realização dos exames. No entanto, diante do contingenciamento de verbas, decidiu que não está em sua lista de prioridades a produção dessa substância. Ciente desse cenário, a DVZ decidiu comunicar a suspensão.

Na avaliação do ministério, o Brasil não deveria arcar com os custos de produção do conjugado para satisfazer exigências de outros países.

Mais de 10 mil exames do tipo são feitos por ano pela DVZ. O estoque atual de insumos dá conta de mil exames até o final de dezembro.

TIGRÃO

A jornalista Cláudia Rolim, 50, que dividirá uma casa com Tigrão, no Porto, vinha agendando os procedimentos necessários para viajar com seu gato, mas parou tudo diante do comunicado.

“Se não tivesse acontecido tudo isso, eu já teria colocado o microchip e dado a vacina de raiva no Tigrão. Mas assim que eu recebi o comunicado, parei, já que não sei quanto tempo a vacina dura e nem quando vou conseguir que façam a sorologia”, explica.

O microchip com a identificação é o primeiro requisito para transportar pets internacionalmente. No caso da Europa, também é necessária a vacina de raiva e, 30 dias depois, o exame de sorologia.

No Brasil, o exame de sorologia custa R$ 321. Segundo o último levantamento da DVZ, os valores internacionais estão na mesma faixa.

Estimativa feita no site dos Correios indicou valores acima dos R$ 400 para enviar amostras para o Chile, incluindo Sedex (já que não pode passar de dez dias o período entre a coleta e o exame) e caixas para acondicionamento.

Cláudia cogita se mudar sem o companheiro e voltar para o Brasil depois, com os exames feitos, para buscá-lo.

Rosane de Oliveira, diretora da DVZ, diz que a divulgação foi precipitada e que o comunicado foi tirado do ar. Segundo ela, há tratativas com o governo federal e a suspensão pode ser revogada.

Em nota, o Ministério da Agricultura afirma que “não há problemas técnicos na produção do conjugado” e que que a medida foi adotada para direcionar os “escassos recursos públicos” a “atividades estratégicas para a Defesa Agropecuária Nacional, como o combate a enfermidades de alto impacto para a economia brasileira.”Entenda

O exame de sorologia e as viagens europeias

O que é o exame de sorologia de raiva?

Um teste para verificação dos resultados da vacina da raiva para comprovar se o animal está imunizado

Quem exige?

Os países da União Europeia, em caso de viagens com animais de companhia. Eles também pedem a microchipagem e a própria vacina da raiva.

Quanto custa?

A Divisão de Vigilância de Zoonoses, da Prefeitura de SP, cobra R$ 321.

Quem faz?

No Brasil, apenas a Divisão de Vigilância, que anunciou a suspensão.

O que fazer agora?

Contatar laboratórios estrangeiros. A lista oficial está neste link. Com informações da Folhapress.

 

 

Fonte: Folhapress

Categorias: Brasil,DESTAQUE

Tags:

Leave A Reply

Your email address will not be published.